Nutec participa da solenidade de inauguração da Fiocruz Ceara

31 de agosto de 2018 - 10:10

A criação da Fiocruz Ceará se deu por meio de esforços em conjunto da Fundação, do Governo do Estado e do município de Eusébio, além de universidades cearenses.
“É o futuro do Eusébio, é o futuro do Ceará, é o futuro do Brasil que homenageamos nesta manhã”, destacou a   presidente da Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, Nísia Trindade, durante a cerimônia de inauguração da Fiocruz Ceará que ocorreu na manhã dessa terça-feira,- 26, no Polo  Industrial e Tecnológico da Saúde – PITS, no município de Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza. O Governador Camilo Santana presidiu a solenidade de inauguração que contou com a participação do presidente da Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceara- Nutec, Francisco  Magalhães, representantes da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece) e de varias outras autoridades do Estado.
 Ao todo, a  Fiocruz já  investiu R$ 180 milhões  no polo do Eusébio, onde serão integradas diversas iniciativas que buscam a inovação tecnológica e que visa  fortalecer a atenção primaria à saúde.  A instituição irá atuar na área de pesquisa, desenvolvimento e inovação em fármacos, medicamentos, equipamentos e materiais de saúde e realizar pesquisas cientificas direcionadas à realidade ambiental e epidemiológica da região. O prédio foi construído em um terreno com 32 hectares, cedido pelo Governo do Estado e a Prefeitura de Eusébio.
 Nísia  Trindade, explica que o projeto da Fundação aqui no Estado  é muito importante para o fortalecimento da ciência e tecnologia do Nordeste. Na ocasião, Nísia se mostrou bastante entusiasmada com o evento e ressalta  que a Fiocruz no Ceará é uma realidade com ações no âmbito da saúde, da biotecnologia e no desenvolvimento sustentável: “É uma honra inaugurar um projeto de muitos anos da Fiocruz, essa honra que me cabe hoje significa uma grande responsabilidade e uma grande alegria”, enfatizou.
Para o governador Camilo Santana, com as ações da Fiocruz e o PITS, o Ceara  se coloca no centro dos avanços em saúde pública no Brasil: “Nenhum país se desenvolve sem investir em pesquisa e tecnologia. Esse é o caminho, um divisor de águas para o Ceará e um marco importante que muito nos honra”, Frisou.
 
Parceria:
O Nutec, através do seu Laboratório de Química Instrumental LQI, tem uma parceria de cooperação técnica com a Fiocruz para estudar a área de agrotóxicos, desenvolvendo e validando métodos cromatográficos para identificação e quantificação de resíduos de agrotóxicos em amostras de água e alimentos. A Fundação dispõe de equipamentos modernos, espectrômetros de massas, além de um corpo técnico capacitado e está se especializando na área de agrotóxicos, com um projeto aprovado pelo Banco do Nordeste (BNB).
A Fiocruz no Ceará:
A unidade vai usar matérias-primas do bioma nordestino para desenvolver produtos inovadores. A unidade de Bio-Manguinhos estará dedicada à produção de vacinas e outros biofármacos a partir de plataformas vegetais, sendo a primeira  unidade deste gênero na Fiocruz. Uma linha de ação é a produção de um biofármaco, a partir de células de cenoura e tabaco, para tratamento da doença de Gaucher, doença genética rara que causa aumento do baço e do figado.
A área de doenças degenerativas é outra que está na mira da Fiocruz para futuras pesquisas na unidade. A expectativa é atrair outros empreendimentos e parcerias na área acadêmica e empresarial, incluindo startups. A sede do Ceará terá um prédio para ensino com capacidade para 560 alunos, e outro para pesquisa com 15 laboratórios.